Recuperação Judicial

 

COMUNICADO FARMÁCIAS MAIS ECONÔMICA – 27/04/17

A Mais Econômica requereu o pedido de recuperação judicial em 18 de abril de 2017, com base na Lei de Recuperação Judicial e Falências (Lei nº 11.101/2005), cujo processamento foi deferido em 27 de abril de 2017, pelo Juízo da 2ª Vara Cível de Canoas no Estado do Rio Grande do Sul.

 

COMUNICADO FARMÁCIAS MAIS ECONÔMICA – 19/04/2017

A Mais Econômica informa que finalizou um plano para retomar o financiamento de seu capital de giro. Nesse sentido, e ante um cenário de dificuldades remanescentes da gestão anterior, agravado pela crise econômica brasileira, será implementado um amplo programa de reestruturação das operações juntamente com a nova modalidade de financiamento de capital de giro, de forma a sanear problemas e reposicionar a rede no caminho do crescimento.

Assim, nesta terça-feira, 18 de abril, a Mais Econômica ingressou com pedido de Recuperação Judicial na comarca de Porto Alegre, de maneira a proteger a empresa e seus empregos. Fundamentada na Lei 11.101/2005, a medida tem o objetivo dar mais fôlego financeiro para a empresa restabelecer a normalidade das operações, preservar empregos e manter o relacionamento com clientes, funcionários e fornecedores.

Durante o período de recuperação judicial, a Mais Econômica prosseguirá com suas atividades normalmente e todos os compromissos existentes serão quitados na forma da lei.

A Mais Econômica, 3ª maior rede do varejo farmacêutico gaúcho, tem em sua trajetória um grande compromisso com atendimento e qualidade, que é a base de seu sólido relacionamento de 26 anos com seus clientes. Nesse momento em que seus controladores reafirmam a crença no potencial do negócio, contam com o apoio de todos para superar esse momento transitório de dificuldades.

Seguem perguntas e respostas para esclarecer alguns pontos:

 

 

  1. O que é Recuperação Judicial?
  • É uma ferramenta legal que PRESERVA a empresa e PROTEGE os funcionários.
  • Na recuperação judicial, as dívidas da empresa são congeladas e renegociadas.
  • A empresa volta a ter crédito no mercado, pode financiar a compra de produtos e voltar a tomar empréstimos.
  • Com tudo isso, a empresa ganha fôlego para voltar a vender e, depois, voltar a crescer.

 

  1. Quais são passos que a empresa deve executar?

 

  • A empresa deve solicitar o pedido de recuperação na Justiça, apresentando todos os documentos e lista de credores;
  • O juiz autoriza a empresa a elaborar um plano de recuperação, que deve ser apresentado no prazo de 60 dias;
  • Uma vez apresentado o plano, cabe ao juiz divulgá-lo a todos os credores da empresa, que se reunirão em assembleia para negociar e aprovar o plano.
  • Com a aprovação do plano, a empresa começa a pagar os credores.
  • Durante o processo, a empresa fica sob fiscalização do juiz, e deve apresentar todos os meses ao juiz e aos credores um balanço sobre os avanços do negócio. A empresa fica obrigada a pagar os salários dos funcionários em dia.

 

  1. Como a Recuperação Judicial ajuda a Mais Econômica?

 

  • Teremos acesso a uma linha de financiamento de compra de produtos;
  • Libera dinheiro que estava bloqueado e que será utilizado para pagar salários e comprar mercadoria;
  • Permite que os principais fornecedores voltem a vender para a empresa;
  • Abre crédito nos bancos para financiar a operação e novos investimentos;
  • Dá prazo para pagamento de dívidas.

 

  1. O que a Recuperação Judicial muda para o cliente/consumidor?

 

Só muda para melhor. A empresa opera normalmente. Voltaremos a ter produtos, já temos o melhor atendimento do mercado e voltaremos a abrir todas as nossas lojas em breve.

 

  1. Como ficam as dívidas existentes com fornecedores?

 

As dívidas são renegociadas nos termos a serem aprovados no plano de recuperação judicial.

 

  1. O que levou a Mais Econômica a solicitar a Recuperação Judicial?

 

Foram detectados problemas e inconsistências não declaradas pela gestão anterior. Em função disso, e por manter a crença na viabilidade do negócio, os atuais controladores decidiram ingressar na Justiça com o pedido de Recuperação Judicial, com principal objetivo de preservar a empresa e empregos. O objetivo é sanar a empresa, manter a relação ética com fornecedores, funcionários e clientes e executar um processo de reestruturação que torne a rede mais forte para que volte a crescer.

 

 

  1. Como a empresa vai negociar suas dívidas?

 

– A empresa irá montar um Plano de Recuperação no qual irá detalhar como serão feitos os pagamentos;

 

– Este plano deve ser apresentado ao Juiz em 60 dias, depois será votado pelos credores em assembleia.

 

  1. Quando os funcionários irão receber os salários?

 

Os salários serão pagos em dia para os funcionários que ficaram. É uma obrigação que está prevista na lei. Já os salários atrasados serão regularizados conforme for previsto no plano de recuperação e aprovado em assembleia pelos credores.

 

  1. Se alguém for demitido agora, receberá seus direitos? E os que foram demitidos antes?

 

Todos os demitidos receberão os seus direitos. Quem for demitido depois da Recuperação Judicial receberá na homologação. A dívida com quem foi desligado antes da Recuperação Judicial será paga conforme o que for aprovado em assembleia de credores, em até 12 meses, conforme prevê a lei.

 

  1. Fui desligado da empresa, posso resgatar meu FGTS?

 

Sim. A Mais Econômica está à disposição dos sindicatos para homologar os desligamentos e permitir que os funcionários resgatem o FGTS e possam solicitar o seguro desemprego.

Voltar Topo